Casa da Mãe Casa da Mãe
Seu carrinho ainda
está vazio :(
Navegue pela loja e encontre os
produtos que você procura.

Adorno Porta Água Benta Santa Dulce dos Pobres 20 x 8 cm

Cod. do Produto: ADM1ID
Adorno Porta Água Benta Santa Dulce dos Pobres 20 x 8 cm
Cod. do Produto: ADM1ID
PREÇO ATACADO 42% OFF
R$ 20,20
3x de R$ 6,73 sem juros no cartão de crédito
R$ 19,19 à vista no boleto (5% Desconto) Economize R$ 1,01
Mais formas de pagamento >
PREÇO VAREJO PARA COMPRAS ABAIXO DE R$ 518,00 R$ 34,83
R$ 34,83
    • Selecione o Tamanho:
    • Selecione a Cor:
      • Única
Quantidade: - +
Loja Segura

Adorno para porta ou mesa com aspersório para água benta de Santa Dulce dos Pobres, produzido em MDF com cobertura de resina, medindo aproximadamente 20cm de altura 8cm de largura e 8cm de comprimento, aspersório material acrílico transparente com tampa dourada e adesivo do Santo , medindo aproximadamente 9,7cm de altura 3cm de diâmetro. Fabricação Própria.

Calcular Frete e Prazo
  • Ajax Loader

Descrição do Produto

A- A A+

Porta Água Benta Santa Dulce dos Pobres

Porta água Benta

Símbolos de proteção e objetos bentos, como utilizar?
Objetos bentos são aqueles que foram benzidos por um padre, com a devida autorização elas além de um símbolo de sua fé fornecem grande proteção.

Porém devemos nos atentar que ao utilizar um objeto bento devemos ter cuidados como:

Caso o objeto quebre não deve ser descartada no lixo, por se tratar de um objeto Bento deve ser levado a uma igreja onde terá o destino correto.
Sempre realizar orações, pois não se trata de um amuleto ou objeto mágico, mas sim uma lembrança de fé e devoção.
Ao tornar seu objeto bento você está devotando sua vida ao exemplo da imagem que nela se encontra.

Ou seja, escolher um símbolo religioso é mais do que escolher um adorno, é demonstrar sua fé e devoção ao mundo; e para isso a Casa da Mãe possui inúmeros modelos de medalhas, dezenas, adornos, cordões e muito mais para você.

A Água Benta

A importância da água para vida humana, seja física e espiritual
A água é elemento fundamental para a vida humana. O homem necessita e depende do uso diário da água para sua subsistência.

Nas Sagradas Escrituras, a água é considerada símbolo de purificação (cf. Sal 51,4; Jo 13,8) e de vida (cf. Jo 3,5; Gal 3,27). Como dom de Deus, a água é instrumento vital, imprescindível para a sobrevivência e, portanto, um direito de todos. (Compêndio da Doutrina Social da Igreja, n. 484).

Contudo, a água, quando abençoada, passa a ter um sentido também espiritual. No Ritual Romano da celebração das bênçãos, no número 1090, diz que, com a bênção da água, recordamos Cristo, que é a Água Viva, e o sacramento do batismo, que nos fez renascer pela água e pelo Espírito Santo. Por isso, sempre que formos aspergidos com essa água ou nos benzermos com ela ao entrar na igreja ou dentro das nossas casas, dêmos graças a Deus pelo seu dom inestimável e imploremos o Seu auxílio para que, na nossa vida, sejamos fiéis.

Água benta é um sacramental
A água benta não é uma espécie de mágica ou superstição para quem a utiliza, pelo contrário, ela é uma eficaz forma de se chegar às realidades espirituais por meio de sinais sensíveis e visíveis, o que no caso da água benta se denomina como sacramental.

O que é um sacramental? “A santa mãe Igreja instituiu os sacramentais, que são sinais sagrados pelos quais, à imitação dos sacramentos, são significados efeitos principalmente espirituais, obtidos pela impetração da Igreja. Pelos sacramentais, os homens se dispõem a receber o efeito principal dos sacramentos e são santificadas as diversas circunstâncias da vida” (Catecismo da Igreja Católica, n.1667)

Assim, o ministro ordenado, seja um padre ou diácono, ao abençoar a água, conforme prescreve a Santa Igreja Católica, obtém-se um sacramental, que possui grande eficácia para as pessoas nas diversas realidades da vida. Essa água benta também pode ser usada para a aspersão nos vários ritos que a Igreja celebra para a santificação do povo.

Com isso, “os sacramentais não conferem a graça do Espírito Santo à maneira dos sacramentos; mas, pela oração da Igreja, preparam para receber a graça e dispõem para cooperar com ela” (CIC 1670).

Santa Dulce dos Pobres

Irmã Dulce (1914-1992) foi uma religiosa católica brasileira que dedicou a sua vida a ajudar os doentes e os mais necessitados. Foi beatificada pelo Papa Bento XVI, no dia 10 de dezembro de 2010, passando a ser reconhecida com o título de "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Foi declarada santa pelo Papa Francisco em uma celebração no Vaticano no dia 13 de outubro de 2019.

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu em Salvador, Bahia, no dia 26 de maio de 1914. Filha de Augusto Lopes Pontes, dentista e professor da Universidade Federal da Bahia, e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes.

Desde criança, Irmã Dulce desejava seguir a vida religiosa e rezava muito, pedindo algum sinal que mostrasse se deveria ou não seguir esse caminho.

Ainda na adolescência, começou a desenvolver a sua missão de ajudar os mendigos, carentes e enfermos.

Formação Religiosa
Aos 13 anos foi recusada pelo convento de Santa Clara por ser muito jovem. Em 8 de fevereiro de 1932, formou-se professora primária e no ano seguinte entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, em São Cristóvão, Sergipe.

Irmã Dulce
Em 1934, Irmã Dulce fez votos de fé, tornando-se freira e recebendo o nome de Irmã Dulce em homenagem à sua mãe. De volta a Salvador, já como freira, sua primeira missão foi ensinar em um colégio mantido pela sua congregação religiosa.

Realizações de Irmã Dulce
Em 1936, com 22 anos, Irmã Dulce fundou a União Operária São Francisco juntamente com frei Hildebrando Kruthaup. Deve-se também à Irmã Dulce a criação do Colégio Santo Antônio, voltado para os operários e suas famílias.

Importante também foi a sua participação na criação de um albergue para doentes, localizado no convento de Santo Antônio. O espaço depois viria a se transformar no Hospital Santo Antônio.

Reconhecimento
Em 1980, durante a primeira visita do Papa João Paulo II no Brasil, Irmã Dulce foi convidada a subir no altar e recebeu do Papa um terço. Ela também ouviu as seguintes palavras: "Continue, Irmã Dulce, continue".

 

João Paulo II e Irmã Dulce
Em 2000 recebeu do Papa João Paulo II o título de "Serva de Deus". Foram mais de 50 anos dedicados a dar assistência aos doentes, pobres e necessitados.

Morte
Irmã Dulce começou a apresentar problemas respiratórios e, apesar de ter uma saúde frágil, não interrompeu o seu trabalho. Já debilitada, foi internada no Hospital Português da Bahia, depois transferida para a UTI do Hospital Aliança e finalmente para o Hospital Santo Antônio.

No dia 20 de outubro de 1991, Irmã Dulce recebeu a visita do Papa João Paulo II para receber a benção e a extrema-unção.

Irmã Dulce faleceu em Salvador, no dia 13 de março de 1992. Seus restos mortais estão enterrados na Capela do Hospital Santo Antônio.

Beatificação
Em outubro de 2010, o Vaticano confirmou um milagre atribuído à religiosa baiana: a recuperação de uma mulher desenganada depois do parto.

A cerimônia de beatificação foi realizada na cidade de Salvador, no dia 22 de maio de 2011, presidida pelo Arcebispo Emérito de Salvador, Dom Geraldo Majella Agnelo, enviado do Papa Bento XVI. Como foi também comprovado um segundo milagre, Irmã Dulce recebeu a decisão de ser canonizada.

Reconhecimento do segundo milagre
No dia 14 de maio de 2019, o Vaticano reconheceu o segundo milagre de Irmã Dulce, que será proclamada Santa, informou o Vaticano. O milagre ocorreu com um músico que pediu ajuda à Irmã Dulce e voltou a enxergar, após ter sido cego por 14 anos.

Canonização
No dia 13 de outubro de 2019, em cerimônia realizada pelo Papa Francisco, no Vaticano, Irmã Dulce, foi declarada santa, com dois milagres reconhecidos. Irmã Dulce entrou para a história como a primeira santa brasileira.

ORAÇÃO A SANTA DULCE DOS POBRES

Senhor nosso Deus, lembrados de vossa filha, a santa Dulce dos Pobres,
cujo coração ardia de amor por vós e pelos irmãos,
particularmente os pobres e excluídos, nós vos pedimos:
dai-nos idêntico amor pelos necessitados;
renovai nossa fé e nossa esperança e concedei-nos,
a exemplo desta vossa filha,
viver como irmãos, buscando diariamente a santidade,
para sermos autênticos discípulos missionários de vosso filho Jesus.
Amém.

Características do Produto

Adorno para porta ou mesa com aspersório para água benta de Santa Dulce dos Pobres, produzido em MDF, com cobertura de resina, aspersório de material acrílico transparente com tampa dourada e adesivo do Santo. Fabricação própria.

Dimensões aproximadas: 20cm de altura 8cm de largura e 8cm de comprimento. Aspersório: 9,7cm de altura e 3cm de diâmetro.


Temos o melhor preço de artigos religiosos da internet, pois a maioria de nossos produtos são de fabricação própria. CONFIRA!

"A Casa da Mãe oferece descontos atrativos para compras no atacado. Então aproveite e não perca essa grande oportunidade!"

Nosso estoque conta com mais de 6.000 itens em artigos religiosos. Entre em contato conosco caso não encontre o que procura! Teremos grande prazer em atendê-lo.

"Sua fé, nossa inspiração!"

Ver mais Ver menos

Avaliações dos clientes

Você já tem este produto? Compartilhe a sua opinião com a gente.

Você também pode gostar de

Ajax Loader
Cadastre-se Para receber
novidades
Nome:
E-mail:
Casa da Mãe
Casa da Mãe
(12) 3646-3440
(12)997750133
Rodovia Washington Luiz, 2804 Veloso CEP 12580-000 - Roseira - SP
Segurança
  • Loja Segura
Formas de
Pagamento
Entrega
  • Entregamos em todo o Brasil
  • Correios
  • Casa da Mãe Distribuidora de Artigos Religiosos LTDA ME - 12747412000179
  • Todos os direitos reservados - Casa da Mãe      -      2021
E-commerce desenvolvido por Climba Commerce
Central de Atendimento